Sou ou não sou?

Não desejo ser a lua…! Quero ser o luar de prata, que não tem forma e nem contornos, que não possui vida, mas é sim, a própria vida de tal astro.
Não desejo ser o sol! Quero ser a luz e o calor que emanam dele e são encontrados por todo universo, enquanto o seu gerador ocupa apenas o centro do universo.
Não desejo ser o homem… e nem ser a mulher! Desejo ser o anjo, que ocupa o espaço o meio, não possui máculas, que é e vive as puras virtudes.
Não desejo ser o sexo… nem muito menos o amor! Eu quero ser o vazio, que por si só basta a si mesmo, preenchendo-se com o nada e o ninguém-mais.
Não desejo ser o sábio… nem sequer o gênio, desejo ser a sabedoria e o conhecimento, ser e fazer parte de todos aqueles que os procuram!
Não desejo ser eu mesmo… e nem ao menos ser você, desejo ser todos nós juntos, criando e sendo, sempre, um novo amanhecer!

Anúncios

Sutra

imagesQue tu sejas Luz, mas que a tua luz não ofusque os teus próprios olhos

Que tu sejas Sábio como a serpente, mas que a tua sabedoria não se torne um veneno em tua própria mente

Que tu tenhas o Conhecimento, mas que ele sirva muito mais aos outros do que a ti mesmo

Que tu sejas Amor, simplesmente amor… sem restrições.

“A briga”

simbioseA vida é sempre assim
Não sei se estou no outro ou se o outro está em mim
E por mais que seja sempre
Uma história sem ter fim
No final estou em todos
E todos eles “tão” em mim

E sempre “abriga” pela posse
O simbionte e a simbiose
Dissolvendo-se um no outro
Cada dia cresce a dose
Cada vez mais homegênea
Sem cessar metamorfose

Nesse jogo de procura
Quem vencer recebe a cura
Torna-se um ser por inteiro
Põe-se fim a tal tortura
Ganha direito de escolha
À sanidade ou à loucura.

Narciso

NarcisoLeva meu nome a mais bela flor

Nascida do misto de êxtase e dor

No ato em que no lago de espelho me vi

Pela própria beleza encantei-me e morri

Em todas as faces que já contemplei

Buscava a mim mesmo, mas nunca encontrei

Por todas as belas eu fui desejado

Mas, minha imagem quem trouxe-me o desejo, o pecado

Quando penetro em teus olhos deixando-te inerte

São pra mim dois espelhos que o mais belo reflete

Não me há culpa alguma se nasci por Narciso

Mas seus olhos, de espelho, é do que eu preciso

Quando caem as escamas

– O que aconteceu Fernando? Vim correndo assim que me disseram que você não estava bem.

– Não é necessária tanta preocupação. Encontro-me bem.

-Mas, não me parece.

-Sei o que está pensando. E sei também o que lhe falaram. Que encontro-me louco, não é?

-Bem, disseram-me que você estava com problemas…

-Não pense como eles, não te tornes mais um sonâmbulo que acredita viver, mas que na verdade ainda dorme sono profundo, e nunca sequer abriu os olhos para conhecer a luz.

O que acontece comigo, é que despertei da total letargia e agora enxergo coisas que minha cabeça, antes adormecida, não poderia perceber. E como todos os outros ainda têm suas pálpebras cerradas, não conseguem compreender.

– Então fale-me. Descreva-me tal epifania. Talvez eu  seja capaz de entender.

TUM!

-Então responda-me. Que significância tem, em nosso mundo, esta minha forte pisada na terra?

– Ao meu ver, é um gesto insignificante.

– Preste bem atenção! E para todas estas formigas que seguiam com seu trabalho em busca de alimento? Agora, encontram-se assustadas e correm de volta ao seu formigueiro, sem nenhum pedaço da comida que almejavam levar. E há grandes chances de todo ele morrer de fome hoje, por conta de um simples gesto meu, que para os demais foi “insignificante”.

– Desculpe, mas ainda não compreendo.

– Tais insetos, não têm consciência… mais que isso… não têm a mínima idéia do que as fez voltar para casa. Você sabe por quê? Porque nenhuma delas tem a noção da existência de uma outra forma de vida, de tamanhos descomunalmente maiores que os seus: nós, os seres humanos. E sabe-se lá se elas têm consciência de sua própria existência.

– Agora, estou ficando realmente preocupado. Não entendo sua linha de raciocínio.

– Tenha paciência. Pois chegou a grande questão: E nós? Você, e eu e todos os outros dormentes? Somos formigas para quem?

Nós, assim como elas, não temos ao menos a consciência do existir.

– Espere! Mas eu sei que existo.

– Mas não sabe o pra que e o porquê. Não sabe com que sentido e com que finalidade. E ao meu ver, dá no mesmo.

– Consigo entender-lhe, amigo. Mas confesso que falta-me muito para compreender.

– Está vendo só? Mais um para atirar-me a pedra de louco. Mas, se o prêmio que se recebe, por conseguir retirar as escamas dos olhos, for a loucura, eu aceito de muito bom grado. Antes ela, do que voltar a ser um boi. Pastando, dormindo, acordando. Ora fugindo, ora seguindo o som de um berrante, junto com todos os outros que ainda ruminam. Eu acordei,… e vi os peões e aprendi a fazer soar a trombeta, e via  a cerca e o que há por trás dela. E digo-lhe com o coração transbordando em felicidade: não ficarei  preso em um curral nem por mais um segundo.

Sinto-me bem em poder ver, com os olhos relmente abertos, que existem vidas menores, que parecem ser inferiores a nós. E que assim também somos, em relação a outras formas de vida, que não cabe em nossa percepção conceber a existência.

Sinto-me feliz ainda, por conseguir ver os fios das teias que ligam e conectam todas essas esferas, que podem até ser infinitas em quantidade, assim como o universo o é em tamanho.

               Pois se sou louco e minha mente criou tudo o que vejo, VIVA à loucura e à inteligência humana.

               Mas se sou um visionário, 10 VIVAS à quem tudo isto criou.

Despertar…

 mandalaHoje não me entendes, pois ainda dormes,  sonhando estar acordado

Mas quando abrires teus olhos, lembra de mim e de tudo o quanto te disse

Talvez não esteja mais ao teu lado, e poderás até pensar que fui apenas mais uma fantasia de teus sonhos, agora, tão sem sentido

Não procures por minha face, nem por minha voz, nem sequer pela forma que eu possuía quando estava em tua companhia

Não busques  lembrar de ti mesmo e nem da vida que pensavas levar, isso pode levar-te à loucura, ou te jogar novamente no sonambulismo ao qual pertencias

Somente sigas o fluxo, mas que isso, seja-o

Contempla-Te , reverencia-Te, devota-Te a Ti mesmo

E quando tu Te abraçares, consumindo de fato a união, nos encontraremos, todos nós

Para mais uma vez seguirmos juntos… e sonharmos… até um Novo Amanhecer.

Dessa vez que seja eterno…

Quero que dure pra sempre

As risadas, a música do violão,  a lua e as estrelas no alto

As ondas levam minhas sandálias

Mas eu vejo e nem me importo

Não precisarei delas pra onde estou indo

Não é a primera vez que sinto isto

Mas hoje parece ser real

Uma festa infinita

Não existe mais o passado e e nem o que passou

Só o  futuro, mas alheio: sem planos ou projetos

Apenas a certeza que tudo que vier a acontecer, será o melhor

Pro Fundo…

pocoÉ no buraco daquele foço

Que mora aquele tal moço

Que sofre do coração

Aquele que se encontra perdido

Que está por dentro ferido

Sem esperar cicatrização

É no fundo daquele abismo

Que se encontra o ceticismo

Que um dia lá lancei

Pra um dia poder ver a passagem

Mesmo que a tal seja miragem

E que um dia atravessarei

É no final daquele precipício

Que se encontra o suplício

Que um dia lá joguei

Pra viver enfim de verdade

Sentir a saudável saudade

Do que nunca me tornei

É no fim daquele caminho

Esse que cruzo  sozinho

E que um dia teminarei

Que se encontra a paz desejada

A felicidade tão almejada

E somente lá  descansarei

“Liberdade aos diferentes”

loucuraOlá a todos. Antes de mais nada, deixe-me apresentar-me, chamo-me Ângelo e gostaria de dividir um pouco da minha história com vocês.

Nasci em uma boa família, não dessas perfeitas, que se vê em livros de histórias ou em filmes, mas uma família muito carinhosa e muito cheia de amor.

Minha infância foi maravilhosa. Graças a Deus, a tecnologia ainda não havia tomado conta de tudo, deixando-me a oportunidade de brincar, correr, conversar e aprontar bastante ao ar livre (como toda criança que se preze). E isso fiz o máximo que pude, tanto é que hoje tenho boas lembranças dessa época mágica da minha vida.

Minha adolescência foi como a de qualquer outro: cheia de conflitos, mas também prazerosa por tantas descobertas que são feitas nesse período. Tinha o sonho de ser famoso, era esse meu maior desejo. Pensava horas o quanto seria bom sair de casa, nem que fosse até a esquina comprar pão, e cumprimentar calorosamente todos que encontrasse pelo caminho. Era algo especial que sentia dentro de mim que me fazia sonhar de tal forma, pensava eu.

Era como se algo muito bonito em meu interior gritasse, na vontade de sair e mostrar-se ao mundo inteiro. Mas era eu ainda um rapaz muito jovem e inexperiente, e como já havia dito, encontrava-me em uma fase de descobertas. Mas infelizmente uma destas não foi-me muito positiva.

Quando comecei a ingressar no universo dos jovens de minha geração, todos tão descolados e tão aparentemente seguros de si, deparei-me diante de uma escolha que mudaria toda minha vida dali pra frente: experimentar drogas ou não?

Infelizmente fiz a escolha errada e o preço que pago até hoje é dolorosamente muito caro.

Todos os meus sonhos vieram a ruína quando me descobri em um surto psicótico desencadeado pela droga. Já não conseguia interagir com as pessoas, agir e nem ao mesmo pensar da mesma forma que antes. Tinha a vaga sensação de que havia algo de diferente em mim, na minha forma de pensar e ver as coisas, era algo que fugia ao meu controle, mas mesmo assim sentia-me como uma pessoa normal, agindo de forma natural.

O pior aconteceu meses depois, quando mesmo dentro de meus delírios e de meus labirintos internos, ouvi o médico dizer a palavra esquizofrenia, e que daquele momento em diante, não poderia conviver com o restante da sociedade – digo restante pelo fato de ainda sentir-me como parte dela.

Aquilo que havia de especial em mim e que eu tanto queria mostrar ao mundo, acabou tornando-se um refúgio solitário, pois era eu o único a ter acesso.

Meu grande sonho de tornar-me famoso terminou no completo extremo: encontro-me hoje num manicômio , sozinho e no completo esquecimento junto há vários outros que passam pelo mesmo processo.

Meus laços familiares e de amizade foram completamente rompidos, pelo fato de eu não mais existir mesmo ainda existindo, pois com minhas mudanças de compotamento, tornei-me outra pessoa, muito diferente daquela que costumei ser por toda minha vida. Por isso não recebo mais visitas. Muitos deles ainda vinham ver-me assim que mudei-me para cá, mas a frequência começou a diminuir, já que todos se frustravam por não encontrar mais seu amado parente ou velho amigo, mas sim, uma pessoa de personalidade diferente, mas de aparência igual.

Mas mesmo os loucos sonham, e meu útimo artifício e o legado que posso deixar, na esperança de alcançar a tão almejada fama, é este pedaço da minha história. Para que sirva de aprendizado para aqueles que se encontram diante da decisão que há muito já fiz, mas tenham a sabedoria de dizer um NÃO. E que sirva para aqueles que discriminam os “diferentes” neste mundo, refletirem que somos loucos, mas ainda somos seres humanos, e por isso ainda possuímos sonhos, desejos e sentimentos.

Obrigado a todos pelo tempo gasto com a leitura de minhas palavras, e se Deus quiser, com o tempo gasto com a reflexão.

                                  Abraços a todos

                                        Ângelo

 

                         PELO MOVIMENTO ANTIMANICOMIAL

                                                                   E

                                         PELO NÃO  ÀS DROGAS.

Partilha

O solSe as estrelas brilhassem somente para mim, pediria a Deus para dividi-las com todos os meus irmãos, pois eu sei a capacidade que elas têm de retirar dos corações, toda sensação de solidão e desesperança. 

Se o sol aqucesse somente a mim, pediria a Deus para dividi-lo com todos aqueles que possuem seu coração em estado de congelamento, para que ele os derretessem, e os sentimentos mais sublimes viessem a tona, fazendo brilhar a Terra por todo universo.

Se o encanto da lua fosse todo meu, pediria a Deus para dividi-lo com todos aqueles que desconhecem a força do amor, pois é amando que se conhece o mundo de Deus… porque Deus é o Amor.

Newer entries » · « Older entries