O Artesão

Desde o momento em que acordou, teve certeza de que receberia uma mensagem… e das intensas. Não se trataria de um mero sinal comum, daqueles seus para si mesmo, ou de apenas mera leitura e interpretação própria. Há dias já sabia que havia um Irmão por perto, e ja havia sido informado em sonho, que seria este que serviria de janela para mais uma de suas iniciações.
Seu dia parecia ter tonalidades diferentes, como se tudo estivesse num momento de concentração e preparo para alguma cerimonia importante.
No trabalho, não conseguiu vender muitos dos seus trabalhos artesanais, mas sentia que seu lucro maior não viria dali. Recebeu um telefonema de sua companheira marcando encontro na praia, proximo a sua residencia. Recolheu seu expositor e dirigiu-se para o local combinado.
Avistou de longe sua esposa, acompahada de uma figura conhecida… era seu vizinho, um rapaz mais jovem, com quem tinha poucas conversas, mas sempre agradaveis. Cumprimentou-o e recebeu um sorriso e um olhar que parecia emitir palavras de tão profundo e expressivo: “Também estava a sua procura.”
O rapaz encheu-se de um sentimento de surpesa, pois nunca havia pensado que seu vizinho, que sempre esteve tão perto, era também um Irmão e que seria ele o mensageiro esperado.
A surpresa transformou-se em uma pequena euforia, depois que caiu em si de que tantas outras vezes foi surpreendido no caminho, e de que estava prestes a avançar mais uma etapa.
Depois de um beijo em sua esposa, e de algumas conversas triviais, o som do mar, pareceu-lhe aumentar de volume e neste mesmo momento, o rapaz inicia a cantoria de uma música já conhecida: “Agora vamos ter os girassóis do fim do ano e o calor vem desumano…”.
Fechou seus olhos e conseguiu compreender a mensagem que tanto esperava. A simbologia dos girassóis na linguagem daqueles iniciados que adquiriram a visão, e de um tal milagreiro que desperta rumores há bastante tempo. Agradeceu em seu interior tão indescritível sensaçãoe regozijou-se pelo fato de sua “loucura” deixar de este nome para ele mesmo.
Beijou sua esposa e olhando-a nos olhos disse-lhe:
– Sinto em deixar tua companhia, que muitas vezes me foi imprescindível, mas preciso viajar.
– Mas, para onde vais? E o que vais bucar? Por que tão repentina decisão? – perguntou-lhe a companheira.
– Preciso encontrar-me com outros girassóis e se não saio agora, não osecontrarei e nem ao nosso sol milagreiro, Mas o porquê da minha ida não cabe a você e nem mesmo a mim, pois perguntei-me o mesmo mas a resposta se encontra no meu objetivo. Fale e converse comigo, mesmo a distância. O que pensarás não passar da voz da loucura em teu pensamento, nada mais é do que as minhas respostas a ti.
Pegou seu material de trabalho que ainda estava em sua mochila junto com seu expositor e seguiu… em alguma direção.

Anúncios

2 Comentários »

  1. teteu22 Said:

    Tudo se constrói em espaço e momentos preenchidos de nossos pensamentos e ético se torna uma historia um legado tem sorte sum minha vida não por mim mais pelo o q né vem e vc amigo faz parte disso tudo que bom que vivi isso e hj me lislongiado

    • teteu22 Said:

      Gleidson Oliveira


{ RSS feed for comments on this post} · { TrackBack URI }

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: